CIRURGIA PLÁSTICA OCULAR

O que é ?

Estética

 A cirurgia plástica ocular estética é uma especialidade da oftalmologia que tem como objetivo corrigir as imperfeições da região periocular ( pálpebras, supercílios, região da bochecha ), suavizar os efeitos do envelhecimento palpebral e promover valorização e rejuvenescimento do olhar.

Blefaroplastia ( correção do excesso da pele e das bolsas palpebrais )

A Blefaroplastia é a cirurgia plástica mais comum da face e que tem como objetivo remover o excesso de pele e das bolsas de gordura, melhorando assim o contorno palpebral e a valorização do olhar. Para este objetivo, o cirurgião plástico ocular deve realizar uma série de testes durante a consulta oftalmológica para que seja feita o melhor planejamento cirúrgico e com isso, maior previsibilidade dos resultados. A blefaroplastia não corrige os “pés de galinha" ao redor de seus olhos, nem levanta a sobrancelha. Para estas imperfeiçoes, outros procedimentos estão indicados e que quando combinados adequadamente ao procedimento da cirurgia das palpebras, podem optimizar ainda mais os resultados promovendo assim maior rejuvenescimento e olhar mais "descansado". A blefaroplastia é indicada para homens e mulheres que se encontram em boas condições de saúde e com expectativas realistas em relação à cirurgia. 

Blefaroplastia à Laser

Para a realização da  blefaroplastia à laser, utiliza-se o laser de CO2 para cortar a pele e cauterizar os vasos. Como  resultado  dessa técnica, temos menor sangramento, menos hematomas, edemas mais amenos, proporcionando assim uma recuperação muito mais rápida.  

Combinada à blefaroplastia à laser podemos realizar o " Resurfacing" das pálpebras com o intuito de diminuir as rugas de expressão, estimular a produção de colágeno, fortalecer e rejuvenescer o entorno dos olhos. A recuperação da blefaroplastia a laser demora de 5 a 10 dias e os resultados finais são percebidos em 3 meses com a completa cicatrização. Nesse período, a exposição solar  está proibida para evitar a hiperpigmentação da pele.

Elevação de Supercílio 

A queda do supercilio muitas vezes é confundida pelo paciente como o excesso da pele da pálpebra superior deixando da mesma forma o aspecto de um olhar cansado. Nestes casos, o cirurgião plástico ocular será capaz de identificar essa anormalidade e indicar o melhor tratamento cirúrgico, seja ele combinado à blefaroplastia ou não.  

Existem varias opções de tratamentos que variam conforme o tipo da ptose e necessidades de cada paciente. A correção temporária pode ser obtida com toxina botulínica e dentre as opções cirúrgicas disponíveis temos as técnicas transpalpebrais, técnicas com incisão camuflada no couro cabeludo, a técnica por via endoscópica e as técnicas de ressecções direta da pele acima do supercílio. Em qualquer dessas técnicas, o cirurgião oculoplástico irá busca o melhor efeito com o mínimo de cicatrizes.

Elevação de Terço Médio 

A maioria dos defeitos do terço médio da face ( região abaixo da pálpebra inferior ) estão relacionadas com a idade, mesmo que às vezes temos que lidar com problemas congênitos, como vetor negativo (quando os olhos são mais proeminentes do que os tecidos moles malares) ou depressões lacrimais profundas.  Outros defeitos desta área são os festões ( bolsões na área da bochecha ), pálpebras inferiores muito altas e/ou afundadas, pálpebras inferiores caídas e com "scleral show" ( visualização da parte branca inferior do olhos) e ectrópio ( pálpebras viradas para fora). Sobre estes últimos defeitos, a elevação da porção medial da face é geralmente muito útil para devolver o efeito natural da face e promover rejuvenescimento.

Toxina Botulínica e Preenchedores   

TOXINA BOTULÍNICA

 

Dentre as indicações da toxina botulínica tipo A aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na área da Oftalmologia, estão o estrabismo, os blefarospasmos ( contraturas involuntárias da musculatura das pálpebras) e o uso com finalidade estética para tratamento das rugas de expressão.

A ruga é um sinal de envelhecimento que pode começar a aparecer a partir dos 25 anos de idade como consequência da exposição solar sem proteção (cujo efeito é cumulativo),  poluição, estresse, privação do sono e pouca hidratação. Isso promove a redução da espessura da pele pela perda de colágeno ( responsável pela sustentação da pele  ) e pelo aumento das atividades dos músculos, levando aos famosos “ pés de galinha” e linhas de expressão.

Aplicada diretamente nos músculos que induzem as rugas de expressão, a toxina provoca um relaxamento e bloqueia a atividade motora involuntária, sendo possível inclusive retardar ou evitar intervenções cirúrgicas. Por isso, a proteção diária da pele com protetor solar de qualidade, o uso de antioxidantes e antiglicantes, são fundamentais no processo de precenção das rugas de expressão.

O efeito começa após 24 horas da aplicação e é bem notável após 3 dias. Se necessário alguma complementação, esta deverá ser realizada 20 dias após a aplicação.

PREENCHEDORES TEMPORÁRIOS

  1. Acido Hialurônico

 

O ácido hialurônico é uma substância naturalmente presente no organismo humano, e que com o passar da idade, tem sua quantidade degradada pelo organismo e sua produção diminuída, o que ocasiona perda de volume e contornos e o surgimento de rugas e linhas de expressão. O ácido hialurônico é uma substância capaz de reter 1000 vezes seu peso em água,  sendo utilizado, para repor volume e sustentação em áreas que tiveram seu volume reduzido com passar da idade ou onde rugas e linhas de expressão tornaram-se visíveis ao exame estático. Na forma injetável, é aplicado diretamente na derme ou tecido subcutâneo, preenchendo a área deprimida e repondo o volume perdido. Pode ser utilizado no preenchimento da região malar, sulco nasogeniano, olheiras, mandíbula, queixo, dentre outras áreas, remodelando formas e contornos.

Como trata-se de uma substância presente normalmente nos tecidos, será também degradada, não se tratando, portanto, de um preenchimento definitivo, com duração variável de 6 a 18 meses, dependendo do tipo do preenchedor utilizado e da área a ser tratada.

O risco de rejeição ao produto, alergia ou formação de granulomas é mínimo, pois trata-se de uma substância naturalmente produzida pelo organismo.  Equimoses ou hematomas podem se formar nos locais na aplicação, resolvendo-se em 1 semana.

Hoje, trata-se do preenchedor mais utilizado no mundo pela segurança e compatibilidade com os tecidos humanos, sendo o segundo procedimento mais realizado nos consultórios dermatológicos, perdendo apenas para a toxina botulínica.

OLHEIRAS: Preenchimento cada vez mais procurado, inclusive por pacientes mais jovens, para correção do sulco da olheira (olhos fundos) ou correção de bolsas, promovendo nivelamento da área, com melhor luminosidade e melhora do aspecto escuro do local, pela correção da sombra imposta pelo sulco no local.

 

 2. Preenchimento de Hidroxiapatita de Cálcio

 

É uma produto à base de microesferas de hidroxiapatita de cálcio, substância usualmente presente em nosso organismo. Portanto, sem riscos de haver incompatibilidade ou alergia ao produto, seguro para aplicação como preenchedor.


O grande diferencial do produto é que  além de preencher rugas e linhas, induz  estimulação de colágeno pela proliferação de fibroblastos (células produtoras de colágeno). Esses fibroblastos continuam a ser estimulados por muitos meses após a aplicação, por isso também chamado de bioestimulador.  


O produto deve ser aplicado a nível subdérmico. Os efeitos são imediatos no apagamento de linhas e sulcos, e  tornam-se maximizados após 16 semanas pela estimulação induzida do colágeno.


Trata-se de um preenchedor temporário de longa duração, que dura em média 2 anos.

 

Indicado para o preenchimento de sulcos, rugas e correção de flacidez na face, e também para as mãos, a fim de melhorar a perda de volume causada pelo envelhecimento natural.

 

 

 PREENCHEDOR PERMANENTE

 

Preenchimento com Polimetilmetacrilato ( PMMA ):

 

O PMMA ou polimetilmetacrilato é um preenchedor cutâneo sintético e definitivo, usado com muita frequência para realização das bioplastias.

O PMMA, diferente dos outros preenchedores é definitivo, ou seja, permanente, e tem indicação subcutânea.

Possui a vantagem de aplicação única e definitiva. Porém por se tratar de um produto sintético, provoca muitas reações alérgicas, como nódulos, granulomas tardios e inflamação local. O produto fica palpável sobre a pele e pode migrar para outras áreas da face, por exemplo.

CADA VEZ MAIS EM DESUSO PELOS RISCOS CONSIDERÁVEIS DE COMPLICAÇOES.

.

Reparadora

A cirurgia reparadora tem como objetivo corrigir lesões que provocam deformação, defeitos congênitos ou adquiridos. É considerada tão necessária quanto qualquer outra intervenção cirúrgica.

Ptose Palpebral

Blefaroptose ou ptose é a condição em que a borda palpebral superior está situada abaixo de sua posição normal de 2 mm, cobrindo o limbo superior em posição primária do olhar. Pode apresentar-se como uma simples alteração estética quanto um problema funcional severo, nos casos em que cobre o eixo visual.

O paciente, de forma inconsciente, tenta compensá-la por meio de contração da musculatura frontal ou adotando posição de cabeça, através da elevação do queixo.

É importante determinar a época de aparecimento da ptose (congênita ou adquirida), sendo que a análise de fotografias antigas é muito útil para afastar dúvidas em relação à informação do paciente.

O tratamento da ptose palpebral é cirúrgico, sendo a indicação funcional ou estética. É uma cirurgia eletiva, portanto deve ser planejada, os riscos e benefícios avaliados criteriosamente. A escolha da técnica e o resultado final são influenciados pelo tipo de ptose, pelo tipo de cirurgia e pela técnica do cirurgião.

Ectrópio Palpebral

O ectrópio palpebral, também chamado simplesmente de ectrópio, refere-se a uma condição na qual a margem palpebral, comumente a inferior, se distancia de sua posição anatômica normal, que é em contato com a conjuntiva bulbar, passando a ficar evertida. Mais simplificadamente, a pálpebra vira para o exterior, deixando a superfície interna exposta.

Dentre as diferentes causas do ectrópio estão:

  • Envelhecimento;

  • Ectrópio congênito;

  • Cicatriz;

  • Problemas mecânicos;

  • Alergia;

  • Paralisia do nervo facial;

  • Tumores palpebrais, tanto benignos quanto malignos;

  • Perda de peso rápida;

  • Cirurgia prévia utilizando radiação ou cirurgias cosméticas.

As manifestações clínicas incluem:

  • Drenagem inadequada das lágrimas;

  • Irritação dos olhos devido à estagnação das lágrimas ou secura causada pela condição em questão;

  • Lacrimejamento excessivo;

  • Ressecamento excessivo.

O diagnóstico é alcançado por meio de um exame físico, juntamente com um exame oftalmológico de rotina.

O tratamento vai depender do fator desencadeante do ectrópio. Contudo, geralmente a realização de um procedimento cirúrgico é necessária. Colírios e pomadas devem ser usados para controlar os sintomas e para proteger a córnea.

Caso não seja tratado a tempo, o paciente pode desenvolver lesões na córnea, que podem evoluir para uma úlcera.

Entrópio Palpebral

O entrópio da pálpebra inferior é definido como uma rotação interna da margem palpebral. Com isto, os pacientes tornam-se sintomáticos quando o epitélio escamoso das margens palpebrais ou seus cílios raspam a superfície ocular, ocasionando irritação com hiperemia e intenso prurido, epífora, ulcerações conjuntivais até prejuízo na acuidade visual1-5.

Quatro tipos de entrópio são descritos: congênito, espástico agudo, cicatricial e senil6. O entrópio congênito é raro e resulta da desinserção dos retratores da pálpebra inferior e hiperação do músculo orbicular. O entrópio espástico agudo é um episódio autolimitado em que a ação do músculo orbicular do olho supera o efeito antagônico dos retratores da pálpebra inferior. O entrópio cicatricial é causado por retração cicatricial da lamela interna pós-trauma ou infecção.

O entrópio senil tem em sua etiopatogenia três causas principais:
 

  • Atenuação ou deiscência dos retratores da pálpebra inferior;

  • Perda do suporte horizontal da pálpebra inferior ocasionado por uma frouxidão dos ligamentos cantais e um alongamento da placa tarsal;

  • Disfunção do músculo orbicular dos olhos com deslizamento da porção pré-septal sobre a porção pré-tarsal2,3,5,7,8.

  •  

  •  

  • Medidas clínicas para alívio dos sintomas oculares são temporárias e pouco eficazes, sendo a cirurgia o único tratamento eficaz e definitivo

Correção de Deformidades Palpebrais

Anomalia ou imperfeição de formato ou configuração das pálpebras. Podem ser congênitas ou adquiridas.

Tratamentos de Tumores e Reconstrução

As pálpebras podem apresentar vários tipos de lesões tumorais benignas e malignas.

Os tumores das pálpebras podem ser diagnosticados precocemente, através de um exame oftalmológico detalhado, melhorando muito as chances de cura com tratamento muitas vezes simple. As causas são inúmeras, más o fator genético e a radiação solar são os principais fatores de risco. Além disso, fatores alimentares e s. fumo também contribuem para aumentar o risco de desenvolver os tumores de pálpebras.

O tratamento das lesões malignas requerem do oftalmologista especialista em oculoplástica, ou plástica ocular, conhecimento das várias técnicas utilizadas em reconstrução palpebral.

Tumores Benignos da Pálpebra

São de crescimento lento, não apresentam ulcerações e sangramentos. Os mais comuns são: hemangioma capilar, cistos, papilomas, molusco contagioso, ceratoacantoma, xantelasma, etc. O papiloma escamoso ( figura: papiloma  ) é o tumor benigno mais comum da pálpebra. O tratamento inclui observação, tratamento clínico e na maioria das vezes simples ressecção cirúrgica.

Tumores Malignos da Pálpebra

Normalmente são de crescimento rápido, acometem pessoas mais idosas, apresentam ulcerações, vasos e deformidades locais, como perda de cílios.

Os mais frequentes são: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular, carcinoma das glândulas de meibômius, melanoma, sarcoma de kaposi, etc.

O carcinoma basocelular ( figura: carcinoma basocelular ) é o tumor maligno palpebral mais comum e o diagnóstico definitivo é confirmado apenas com exame anatomopatológico(biopsia).

Evisceração do Globo Ocular 

Evisceração é a remoção de conteúdos oculares, preservando as camadas externas do olho, para colocar no interior de um implante para substituir o volume ocular.

Enucleação do Globo Ocular 

Enucleação é a remoção do globo ocular com a preservação do conteúdo orbital: músculos, pálpebras, glândula lacrimal.

Reconstituição de Cavidade Anoftalmica

Após a remoção do globo ocular, a cavidade orbitária torna-se vazia e por isso inestética. A reconstituição de cavidade anoftálmica, trata-se da restauração do conteúdo do órbita através do seu preenchimento com tecidos e/ou próteses por diferentes técnicas, de modo a tornar possível a adaptação da prótese ocular externa. 

Calázio

O Calázio é uma tumefação (inchaço) da pálpebra, causada pela inflamação de uma das glândulas que produzem material sebáceo, localizadas nas pálpebras superior e inferior. O calázio às vezes é confundido com um hordéolo (terçol), que também aparece como uma tumefação na pálpebra. O hordéolo é uma infecção aguda da glândula produzindo um nódulo avermelhado e doloroso na borda palpebral. 

Simblefaro

Simbléfaro é uma aderência entre a superfície conjuntival das pálpebras e o globo ocular . Pode ser causado por  lesões térmicas causadas por microondas, lasers, radiações ionizantes, conjuntivites infecciosas  ( bacterianas ou virais ) doenças oculo-cutâneas que afetam tanto a pele como os olhos, como por exemplo, o penfigóide cicatricial, pênfigo, penfigóide bolhoso, dermatite herpetiforme, eritema multiforme, Síndrome de Stevens-Johnson, Necrólise epidérmica tóxica, ceratoconjuntivite atópica crônica, Rosácea e Síndrome de Sjögren,  uso de medicações tópicas e sistêmicas. Finalmente, a cicatrização conjuntival pode ocorrer devido a trauma mecânico ou cirúrgico, como por exemplo, a retirada de um pterígio extenso.

  • Facebook - White Circle

© 2017 by Spencer Thuler.